Aníbal Machado

Em busca do espaço perdido

4 minutos Por Ernani Terra ©   Há alguns anos tenho centrado minhas reflexões e pesquisas na categoria espaço, mais especificamente, como o espaço se manifesta nas narrativas.  Tenho colocado como hipótese de que a memória está no espaço e não no tempo. Acabei de ler um dos contos mais belos de nossa literatura que mostra isso com muita poesia.  Trata-se de Viagem aos seios de Duília, de Aníbal Machado, do livro A morte da porta-estandarte, Tati, a garota e outras histórias (Editora José Olympio).  O conto narra a história de José Maria, um Continue lendo