Federico García Lorca

Tempo de leitura: 2 minutos

No artigo, falo sobre o que há de verdade a respeito do fuzilamento do poeta e dramaturgo espanhol Federico García Lorca, em 1936, já que na internet há um oceano de textos e fotos que não têm o menor vínculo com a verdade dos fatos.

Algumas dessas histórias fantasiosas que correm pela internet sobre o assassinato de Federico García Lorca pelos fascistas espanhóis narram que o poeta foi fuzilado lendo um livro; outras, que foi fuzilado de costas para os assassinos porque era homossexual. Há inclusive uma foto, que reproduzo abaixo, que é claramente falsa, mostrando García Lorca de frente ao pelotão de fuzilamento. Basta olhar o “fuzilado” da foto para ver que não há entre ele e Lorca qualquer semelhança física. Como o poeta foi assassinado, jamais saberemos, pois não há documentos fidedignos.

Foto falsa do fuzilamento de Lorca que circula pela internet

Sabe-se que um de seus prováveis algozes, Juan Luis Trecastro, vangloriou-se dizendo para quem quisesse ouvir que ajudara acabar com Lorca, “metendo-lhe duas balas no rabo por ser veado”. O que se sabe com certeza é o porquê desse crime bárbaro.

Federico García Lorca foi assassinado aos 36 de idade porque se manifestou contra o fascismo, porque era homossexual, porque era famoso e, por isso, invejado pelos medíocres, porque a imprensa conservadora tachara sua peça Yerma de imoral e contrária aos valores tradicionais, porque era um feminista, quando sequer se pronunciava essa palavra.

Foi assassinado tão covardemente que seus algozes agiram de modo que o crime ficasse praticamente sem testemunhas. O que se sabe também é que foi levado algemado a Dióscoro Galindo Gonzales, um professor primário de Valladolid, para ser assassinado numa aldeia chamada Víznar, próxima a Granada, na noite de 18 para 19 de agosto de 1936.

O que se sabe ainda é que o violonista Ángel Barrios, amigo de Lorca, ao saber da execução, realizou investigações que lhe permitiram chegar alguns dias após ao local do assassinato e viu que cobriram a cova com cal e que se sentia o cheiro fétido da decomposição. O que se sabe também é que só em 1940, portanto, 4 anos após a execução do poeta sua morte foi oficialmente registrada no Registro Civil.

Federico García Lorca (1898 – 1936)

PS.: as informações acima foram obtidas em pesquisa bibliográfica e em visita à casa de Lorca em Granada, Espanha, em outubro de 2018. A casa do poeta hoje é um museu e é visita obrigatória a quem for a Granada. Para quem quiser saber mais sobre o assassinato de Lorca recomendo o livro El asesinato de García Lorca, de Ian Gibson, Edições B. Penguin Random House Grupo Editorial. Há uma excelente biografia de Lorca, publicada no Brasil, pela Editora Globo (selo Biblioteca Azul) em 2014. Trata-se da obra Federico García Lorca: a biografia, de Ian Gibson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *