Federico García Lorca

2 minutos No artigo, falo sobre o que há de verdade a respeito do fuzilamento do poeta e dramaturgo espanhol Federico García Lorca, em 1936, já que na internet há um oceano de textos e fotos que não têm o menor vínculo com a verdade dos fatos. Algumas dessas histórias fantasiosas que correm pela internet sobre o assassinato de Federico García Lorca pelos fascistas espanhóis narram que o poeta foi fuzilado lendo um livro; outras, que foi fuzilado de costas para os assassinos porque Continue lendo

Pré-requisito ou Prerrequisito?

2 minutos Nesta crônica, publicada anteriormente em minha página no Facebook, faço algumas considerações sobre as angústias pelas quais as pessoas passam quando têm de escrever alguma palavra em que o hífen deveria ser empregado ou não. Confesso que as dúvidas quanto ao emprego do hífen sempre existiram. Com o tempo as pessoas foram se acostumando a usar corretamente esse sinal, até que veio o Acordo Ortográfico e o caos se instalou. Ninguém mais sabe ao certo se devemos escrever infanto-juvenil ou infantojuvenil. Sempre Continue lendo

Homofóbico e hemofóbico

3 minutos No último artigo, comentei uma postagem que uma amiga publicou no Facebook em que ela dizia que a rede social removeu páginas com fotos que ela publicou “para que ninguém visse”. Outra amiga me informa que uma publicação dela no Facebook provocou reações raivosas de seus seguidores, porque leram homofóbico no lugar de hemofóbico. Reproduzo a frase de minha amiga.   É fato que as redes sociais têm se prestado à veiculação de discursos preconceituosos e intolerantes, que têm sido imediatamente rechaçados Continue lendo

Sintaxe e ambiguidade

3 minutos Quando produzimos textos, falados ou escritos, realizamos duas operações: seleção e combinação. Dentro de uma classe (substantivos, adjetivos, verbos etc.), selecionamos palavras, por ex, belo, bonito, lindo; menino, garoto, guri e as combinamos para formar unidades de sentido: menino bonito, belo garoto, lindo guri. A combinação se dá na cadeia no fala, isto é, horizontalmente, de modo que as palavras relacionam-se uma às outras. A parte da gramática que trata da combinação das palavras recebe o nome de sintaxe. Ocorre que, em Continue lendo

A Antologia Nacional

5 minutos Neste artigo falo do livro escolar mais longevo do Brasil e que foi o livro escolar de milhões de brasileiros durante muitos anos, a Antologia Nacional, de Fausto Barreto e Carlos de Laet. Antes da Antologia Nacional, os livros didáticos usados no Brasil vinham de Portugal. Os de língua portuguesa eram antologias (às vezes associadas a uma gramática), cujos nomes variavam: seletas, florilégios, antologias. A obra de Barreto e Laet era adotada em instituições de ensino de prestígio como o Colégio Pedro Continue lendo