O mexicano, de Jack London

2 minutos Neste artigo falo de O mexicano, de Jack London. O conto foi publicado pela primeira vez em 1911, no contexto da Revolução Mexicana, iniciada um ano antes.  No Brasil, O mexicano  está publicado no  livro Nocaute: cinco histórias de boxe, numa bela edição da Editora Benvirá. Como toda narrativa, O mexicano caracteriza-se pelo caráter polêmico: o percurso de duas personagens que se opõem, Felipe Rivera e Danny Ward. O primeiro, mexicano, quieto, de pele mais escura, pobre, frio como o gelo; o segundo, Continue lendo

Galveias, um romance de José Luís Peixoto

1 minuto Em 2015, o escritor português José Luís Peixoto esteve no Brasil para lançar seu romance Galveias, publicado pela Companhia das Letras. Tive a oportunidade de comparecer a uma sessão no Sesc da Rua Vila Nova em que ele falou sobre o livro e, é claro, autografou um exemplar que me foi presenteado por uma querida amiga. O título do romance faz referência a uma pequeníssima cidade do Alentejo, onde nasceu o escritor. Galveias é uma cidade com pouco mais de 1000 habitantes. Continue lendo

Caderno de memórias coloniais

4 minutos Neste artigo, falo de Caderno de memórias coloniais, de Isabela Figueiredo, lançado em 2018 no Brasil pela Editora Todavia, em edição muito bem cuidada, que respeitou a grafia usada na edição original. A lamentar apenas o longo tempo que nós, brasileiros, ficamos sem poder adquirir a obra com facilidade. Isso porque o livro foi publicado em Portugal em 2009 e só 9 anos após seu lançamento chegou às livrarias brasileiras. Antes, só indo a Portugal, ou sofrer com a demora dos nossos correios Continue lendo

Colocação pronominal

3 minutos Na Folha de S. Paulo de 2 de agosto de 2018, p. B3), o colunista Sérgio Rodrigues traz à baila o problema da colocação pronominal, em particular o caso em que os pronomes oblíquos átonos vêm abrindo a frase, o que costuma causar urticária em gramáticos conservadores, que insistem em condenar um uso mais que sacramentado, inclusive em situações mais formais. Em outras oportunidades, já me manifestei sobre isso, afirmando que, tirante algumas construções que se cristalizaram, como os anúncios do tipo Continue lendo

O jogo da carona, de Milan Kundera

2 minutos Neste artigo, falo do conto O jogo da carona, do livro Risíveis amores (Companhia das Letras, 2012), do escritor checo Milan Kundera. Sobre este livro, Kundera diz algo que A. J. Greimas dizia a seus alunos. O ensinamento de Greimas chegou até mim pela voz de uma de suas discípulas, Diana Luz Pessoa de Barros, que me deu a honra de supervisionar pesquisa que desenvolvi sobre o discurso da interdição na obra Crônica da Casa Assassinada, de Lúcio Cardoso. Diana conta que Continue lendo