Leitura e escrita

Da leitura literária à produção de textos

2 minutos No último post, coloquei artigo de minha autoria, publicado na Revista Metalinguagens, que tratava da leitura do texto literário. Ainda dentro desse tema, que é objeto de minhas pesquisas, acabo de lançar um livro que trata das relações entre leitura literária e produção textual. O livro tem por título Da leitura literária à produção de textos e foi publicado pela Editora Contexto em junho de 2018. Nos parágrafos que seguem, exponho, em rápidas pinceladas, ideias que nortearam a elaboração do livro. Falar, ouvir, Continue lendo

Hiperônimos e Hipônimos

5 minutos No último post, ao falar sobre coesão, afirmei que ela pode ser lexical quando o termo é retomado por sinônimo, hiperônimo e hipônimo. Neste, discuto os dois últimos conceitos e aproveito para falar também de meronímia e holonímia. Dizemos que há hiponímia entre palavras quando a relação de sentido que se estabelece entre elas é da mais específica para a mais genérica. Cardiologista é, portanto, hipônimo de médico. Se olharmos a relação de sentido entre o mais genérico para o mais específico temos Continue lendo

Clareza, coesão, coerência

8 minutos Neste post, comento em rápidas pinceladas três qualidades que devem estar presentes em todos os textos para que atinjam seus propósitos comunicativos:  clareza, coesão e coerência.   CLAREZA Clareza é uma qualidade dos textos em geral, por isso deve ser sempre buscada. Ser claro é se fazer entender. Quem escreve quer ser lido, então deve-se facilitar a vida do leitor apresentando um texto que seja compreensível. Quando alguém não está compreendendo o que lê, abandona a leitura rapidamente. Alguns procedimentos ajudam a obter Continue lendo

Pessoa e personagem de ficção

Pessoa e personagem de ficção

3 minutos Neste post, trago um trecho do livro O conto na sala de aula (Editora InterSaberes, 2017), que escrevi com Jessyca Pacheco. Trata-se do trecho introdutório ao capítulo em que discutimos a personagem. Quando lemos um conto, acompanhamos as ações e as transformações de personagens. Embora saibamos que se trata de uma obra de ficção, em decorrência da verossimilhança, as personagens se nos apresentam como reais – ou seja, elas nos parecem pessoas de carne e osso, quando, na verdade, são apenas pessoas Continue lendo

Quem matou Roland Barthes?

Quem matou Roland Barthes?

3 minutos Quem matou Roland Barthes?  Quem matou Roland Barthes? é o título de um romance de Laurent Binet, publicado no Brasil pela Companhia das Letras em 2016.  Binet recebeu em 2010 o Prêmio Goncourt por seu romance de estreia, HHhH.Teria muito a falar do livro, mas vou me restringir a comentar apenas o título, porque ele me chamou a atenção. Títulos são contextualizadores prospectivos, isso significa que sinalizam ao leitor o que ele vai encontrar, ou seja, os títulos, de certa forma, antecipam o assunto tratado. Nos dias de Continue lendo