Língua

Anáfora

4 minutos No último post, tratei dos dêiticos, que não devem ser confundidos com os anafóricos, assunto deste artigo. De modo geral, a função do dêitico é mostrar algo, enquanto a da anáfora é lembrar algo. A palavra anáfora provém do grego (ana-“‘para trás” + phorá “ação de levar, trans- portar”, de phoréo “levar”). Seu sentido etimológico (levar para trás) coincide de certa forma com o que essa palavra é empregada nas ciências da linguagem que conceituam anáfora como uma relação de referência a Continue lendo

Dêiticos

4 minutos Dêiticos são expressões linguísticas cujos sentidos dependem do contexto em que são enunciadas. Por exemplo, o sentido do advérbio aqui depende do lugar em que se realiza o enunciado. Para alguém que está no Rio de Janeiro e enuncia Aqui está chovendo, aqui designa Rio Janeiro. Se quem fala Aqui está chovendo se encontra em Recife, aqui significa Recife. Portanto, o sentido dessa palavra está atrelado à enunciação, ou seja, não apresentam um referente único e específico. O sentido é construído a Continue lendo

Preferencial mas não exclusivo

4 minutos No texto de hoje falo sobre os adjetivos preferencial e exclusivo e aproveito para fazer uma pequena crônica. Para não perder o costume, recorro à etimologia. Por quê? Embora o sentido das palavras se altere com o uso, sempre fica alguma coisa. Recorrer a etimologia é como buscar o DNA da palavra. Mas antes recorro ao Houaiss. Está lá. Preferencial (adjetivo): que tem preferência. Preferência (substantivo feminino): ação ou fato de preferir, prioridade, possibilidade de passar na frente dos outros. Preferir (verbo): escolher Continue lendo

Carnaval de mouro

2 minutos Carnaval se aproxima e, para entrar nos festejos, publico crônica que há algum tempo tinha compartilhado por meio de minha página no Facebook. Como os leitores do blogue não são necessariamente meus seguidores ou amigos na rede social, não vejo problema em trazer a crônica para cá. Ressalto que não se trata de reprodução ipsis litteris daquele texto, pois dei uma mexida nele. Por outro lado, acrescento que o tema está dentro da proposta do blogue, que é de falar de língua Continue lendo

Interdição e incesto

7 minutos No artigo, discorro sobre as palavras interdição e incesto a partir de suas etimologias. A palavra interdição tem sua origem no latim ‘interdictio, onis’. Em português, os verbos correspondentes a esse substantivo são interdizer e interditar, o último mais usado. O substantivo latino corresponde ao verbo interdicere (interdizer), derivado de dicere, que significa dizer, nomear, afirmar, falar em público. O particípio desses verbos são, respectivamente, interdictum e dictum, que vieram dar em português interdito e dito. O verbo interdicere em latim era Continue lendo