O moço do saxofone

Tempo de leitura: 2 minutos

Uma das características do conto é seu final surpreendente. Julio Cortázar, comparando o romance ao conto, diz que o primeiro vence por pontos e o segundo por nocaute. O conto “O moço do saxofone”, de Lygia Fagundes Telles, que faz parte do livro Antes do baile verde, publicado pela Companhia das Letras, é um exemplo de conto cujo final derruba o leitor com um direto no fígado.

O espaço é uma pensão frege-moscas administrada por uma prostituta polaca de 44 anos que abandonara a profissão e abrira um estabelecimento em que caminhoneiros se hospedam e fazem refeições.

O conto é narrado por um caminhoneiro hospedado no hotel. Outro hóspede é uma prostituta casada com um rapaz que quase não sai do quarto e toca maravilhosamente músicas tristes em seu saxofone.

Apesar de casados, a prostituta e o moço do saxofone ocupava quartos diferentes na pensão para que a mulher pudesse atender seus clientes sem maiores constrangimentos.

Toda vez que a prostituta recebe um cliente em seu quarto, o marido toca seu saxofone no quarto ao lado. Assim que o cliente sai do quarto, o moço para de tocar.

O caminhoneiro, ao ver a prostituta, fica interessado em se valer dos serviços da puta. Pergunta a ela sobre o quarto que ocupa e combinam um horário para o encontro.

Ao subir uma escada para encontrar a moça no quarto, se engana e entra no quarto em que vive o moço do saxofone está quieto e triste. O caminhoneiro, indignado com a posição passiva do marido da puta, lhe passa uma descompostura, dizendo que devia largar a mulher e ir embora.

O moço do saxofone ouve calado e com um bruta calma que faz o chofer perder as estribeiras. O caminhoneiro então vai ao quarto da puta e, quando vai começar a transar com ela, a música do saxofone começa a soar triste e melodiosa. O chofer brocha na hora e vai embora e saxofone silencia.


Meu livro Um conto por dia, em que falo de 50 contos de autores diversos, já está à venda exclusivamente pela Amazon. Para adquiri-lo ou para mais informações, clique no link abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *