Literatura

O barril de amontillado, de Edgar Allan Poe

5 minutos Neste post falo de um conto do mestre Edgar Allan Poe. Um clássico dos clássicos: O barril de amontillado (The Cask of Amontillado), publicado pela primeira vez no Godeys’s Lady’s Book, em outubro de 1846, e classifica-se como um conto de terror. Começo por um resumo da história. São duas as personagens, Montresor, o narrador, e Fortunato. O tema do conto é dado nas primeiras linhas: a vingança, uma paixão complexa de liquidação de falta: “… jurei vingar-me” . Aspectualmente, a vingança Continue lendo

O perfume

5 minutos No post de hoje, falo sobre O perfume, de Mia Couto, um dos contos livro Histórias abensonhadas, publicado no Brasil pela Companhia das Letras. A história é narrada por um observador e se inicia pelo convite que Justino faz a Glória, sua mulher, para irem ao baile. O convite se faz acompanhar de um presente que Justino dá à mulher: um vestido. Glória estranha o convite e o presente já que o amor entre eles esfriara com o tempo. Coloca o vestido, arruma Continue lendo

Nora Rubi

Nora Rubi

3 minutos Neste post falo sobre o conto Nora Rubi, de Rubem Fonseca, que faz parte do livro Ela e outras mulheres, publicado pela Companhia das Letras. Todos os contos, como deixa antever o título, se desenvolvem em torno de personagens femininas.  A primeira frase do conto dá a chave: “Meu nome é Nora Rubi. O Nora é verdadeiro, mas o Rubi é falso“. O leitor e arrastado de cara para a oposição /verdade vs. mentira/. Como no filme Verdades e mentiras (F for Fake, 1973), Continue lendo

Preferia não fazê-lo, Bartleby

10 minutos I would prefer not do Hoje, falarei de Bartleby, o escrevente, de Herman Melville, que, embora tenha sido lançado por uma editora como novela, considero um conto com uma certa extensão, e somente por isso não foi incluído no livro O conto na sala de aula, escrito por mim e por Jessyca Pacheco, e lançado no final do ano passado pela Editora InterSaberes. Entre as leituras mais prestigiadas estão as feitas por Deleuze e Agamben. O primeiro desmonta as teses dos filósofos Continue lendo

O coração de Alzira

2 minutos Por Ernani Terra © Neste post, continuo na tecla do último, em que comentei o conto Viagem aos seios de Duília,  autor nacional, personagem feminina, solidão, com um ingrediente adicional: o amor.  Mas adianto: não esperem um conto de amor suave e com final feliz. Quando sugerir um conto de fadas, lembrarei disso. Mas agora quero falar do amor como busca, como desejo que nos move a um encontro, como a necessidade da alteridade, do completar-se no outro, porque amor é um Continue lendo